Para 5%off na sua 1ª compra no site, use o cupom: BEMVINDOSELVVVA (exceto produtos em promoção)

Selvvva do dia: avenca / Adiantum spp

Delicada e exuberante, com o verde da infância. Puxe pela memória e você provavelmente vai se lembrar dela na casa da avó. Clássico que está ganhando a jovem geração de apaixonados por plantas, a avenca vai conquistar a selvvva dos mais experientes. 

Epífita que é, cresce na natureza agarrada aos troncos, usando essas superfícies como apoio para garantir proteção e ganhar alguns centímetros de altura. Assim, quanto mais afastada do solo, mais longe dos predadores e perto da luz. Tudo sem retirar nutrientes da planta parceira. 

Não é raro que nasça espontaneamente nas calçadas e à beira dos córregos. Com esse comportamento rústico, ela engana os mais desavisados, que não pensam duas vezes para adotá-la nos cantinhos por aí. Mas bastam poucos dias de convivência para descobrir o quanto essa planta é exigente nos cuidados e pede atenção constante na rega: a avenca precisa de um ambiente úmido e abafado para manter as folhas sensíveis hidratadas.

Pelo menos, o que costumamos chamar de folhas. Afinal, pouca gente imagina, mas essa espécie é considerada uma samambaia, e faz parte de um conjunto composto por várias famílias, as pteridófitas. (Temos conteúdo especial por aqui)

Versátil, pode deixar os banheiros iluminados mais acolhedores. Na hora de levar essa moradora para viver por aí, fique atento aos segredos dela.

Rega: 3x por semana. Não espere o substrato secar para uma nova rega. Na hora de plantá-la, você pode usar as misturas próprias para samambaias ou orquídeas, geralmente compostas por casca de pinus, fibra de coco e carvão vegetal.

Dona de folhas delicadas e com pouca capacidade de manter uma reserva para hidratação, a avenca necessita de borrifadas de água em toda sua extensão.

Iluminação: meia-sombra. Aquele cantinho iluminado perto da janela é o ideal para as avencas crescerem cheias de vida, sempre protegidas da luz direta do sol. 

Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Problemas comuns:

Os problemas mais frequentes da avenca estão ligados às folhas sensíveis e delicadas. 

Folhagem levemente pálida e enrolada pode indicar que está faltando água por aí. Ramos amarelados, que saem na mão depois de uma leve puxada, contam sobre o excesso de água.

Se a folhagem amarelar e for perdida durante o outono e o inverno, fique tranquilo. É normal que essas plantas cheguem a dispensá-la para economizar energia nesse período. Na primavera os brotos voltam a apontar cheios de vida.

Ficar exposta às correntes de ar é outra condição que pode levar a sua moradora a perder folhas. Deixar a sua planta protegida do vento é fundamental.

A exposição ao sol pode queimar rapidamente a folhagem. Na hora de escolher o lugar para a sua companheira viver, ofereça um cantinho iluminado perto da janela, protegido do sol direto. 

Nos dias mais secos, as bordas das folhas podem se queimar. Por isso, fique atento à umidade do ar e borrife com água a sua planta sempre que possível. Você também pode usar um umidificador para ajudar nessa tarefa. Além disso, coloque a sua moradora perto de outras plantas tropicais para criar um microclima e ajuda a reduzir a perda de água.

Fique de olho também no substrato e evite mantê-lo encharcado, condição que pode favorecer o surgimento de cochonilhas. É importante olhar a sua planta de perto diariamente. Assim, você consegue agir rápido aos primeiros sinais de pragas, que podem fazer uma verdadeira devastação em poucos dias. 

Para mantê-los longe do seu verde, aplique óleo de neem. Se eles já apareceram, retire a folha infestada. Você também pode usar inseticida caso esses invasores estejam se espalhando por aí.

Está tudo certo se você notar pontinhos marrons debaixo das folhas. São os esporos que se formam de tempos em tempos para a reprodução da espécie.

Como usar: exuberante nos cachepôs de tamanhos variados.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!