Essa espécie de aglaonema (são mais de 50 dentro desse gênero!) é dona de uma das estampas mais lindas do universo botânico. Do centro das folhas emerge uma mancha prateada, que se combina a um tom de verde bem vivo. A mistura faz com que o ambiente habitado pela planta fique mais interessante, e esta é uma espécie muito adequada para ambientes internos, já que gosta mesmo é de uma meia-sombra, nada de sol direto, e também prefere ambientes quentes e úmidos. As condições ideias para o cultivo da aglaonema se explica por sua origem, as florestas tropicais da Ásia.

 Rega: De 2 a 3 vezes por semana (é importante manter o substrato úmido, mas sem encharcá-lo). Também é necessário pulverizar água nas folhas de vez em quando, para mantê-las hidratadas.

Iluminação: Deve ser moderada, já que não tolera sol direto.

Problemas comuns: Infestação de cochonilha, uma praga comum em plantas ornamentais. Deve-se eliminar as partes afetadas e uma boa alternativa natural é usar calda de fumo para tratar os efeitos do ataque, ou pesticidas botânicos.

Outros nomes populares: Aglaonema-pataya, café-de-salão-prateado.

Como usar: Cachepôs de tamanho médio são perfeitos para acomodar as aglaonemas, que tendem a ter entre 25 e 30cm de altura.

 

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está condicionada e o tipo da espécie. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, mas não são uma fórmula definitiva. O ideal é prestar atenção às respostas da sua planta; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições em que a espécie se encontra. É importante não exagerar no volume de água a cada rega! Prefira aumentar a frequência das regas ao invés de aumentar a quantidade de água.