Folhas em forma de seta, grandes nervuras em branco e prata sobre o verde metálico intenso e brilhante. Estas características pertencem a, pelo menos, duas alocásias, a polly e a amazônica, da família das Aráceas. Ambas - dentre as mais de 70 variações existentes - são bem parecidas, exceto por um detalhe: o tamanho. A polly tem folhas menores. Apesar de seus nomes científicos sugerirem a origem na Amazônia, elas são híbridas, ou seja, são fruto do cruzamento de duas ou mais espécies, e têm ascendência asiática. Mas, seja no calor da Ásia ou do Brasil, o seu habitat pode nos dar pistas das condições ideais para o cultivo dentro de casa.

Rega
a rega duas vezes na semana costuma bastar (lembre-se de conferir o substrato antes de molhar novamente). Como seu próprio habitat indica, adora a umidade do ar. Por isso, borrife água em suas folhas com frequência.

Aqui, pequena, a alocásia-polly.

Iluminaçãoflorestas tropicais têm luz filtrada pelas árvores. Para tentar reproduzir a mesma condição em casa, opte por locais arejados, que recebam claridade em abundância, mas de forma indireta, e sem a presença de correntes de vento. O sol pleno pode queimar suas folhas

Outros nomes populares
cara-de-burro; punhal-malaio; orelha-de-elefante; kris;

Problemas comunssubstratos muito úmidos podem atrair pulgões, além de sufocarem a raiz da sua alocásia. Para evitar esses problemas, drene o solo misturando uma boa porção de terra vegetal com chips de coco, casca de pinus ou estilha de madeira queimada*. Caso ela apresente sinais de sufocamento, como folhas amareladas, dê uma pausa nas regas, confira se a drenagem está funcionando bem e, se necessário, adicione mais fibras naturais ao substrato. Folhas amareladas também podem ser sinal de que ela não está recebendo a luz necessária. Isso pode acontecer se encoberta por outras espécies ou até mesmo por suas próprias folhas. 

*com o passar do tempo, essa mistura entrará em decomposição, deixando o solo ainda mais rico em matéria orgânica e tornando-se repleto de nutrientes para a planta.


Como usar
pode ser plantada em vasos, decorando mesas, estantes e prateleira, ou diretamente no solo em jardins abertos - desde que não receba sol direto. Fica linda se combinada com outras espécies, como o caladium (que tem o formato de suas folhas parecido) ou as fitônias, que são rasteiras e não a encobrirão da luz. Suas folhas cheias de detalhes pedem para serem admiradas de cima. Por isso, dê preferência para lugares abaixo da linha do olhar.

 

Dica da Selvvva: As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, não uma fórmula definitiva. As regas variam de acordo com o ambiente, a disponibilidade de luz, a umidade do ar, a temperatura, o recipiente onde a planta está acondicionada e as demandas específicas da espécie. O importante é sempre prestar atenção às respostas da sua planta e, assim, dosar a água de acordo com as condições em que se encontra. Preste sempre atenção para não deixar o solo encharcado ou água acumulada no fundo do vaso, evitando o apodrecimento das raízes. 

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.

Com folhas um pouco maiores, alocásia-amazônica nos cachepôs friso cobre e rosa.