Em pequenos vasos ou com porte de árvore, essas espécies carregam a tradição oriental de levar sorte a quem for presenteado com a beleza da sua folhagem.

É na união entre o masculino e o feminino que vive parte do misticismo de plantar essa dupla em um mesmo vaso. Superstições à parte, se a sua está separada ou só uma delas mora nessa selvvva, está tudo certo.

Embora sejam conhecidas como árvore-da-felicidade, macho e fêmea, elas não fazem parte da mesma espécie e independem uma da outra para se manterem cheias de vida e se reproduzirem.

Dentro ou fora de casa, na sala ou no banheiro, esses arbustos são resistentes e pouco exigentes nos cuidados. Para multiplicar a felicidade e distribuir mudinhas, corte um pedacinho do caule na diagonal e deixe brotar em um pote com água.

Se você quer uma folhagem exuberante para essa selvvva do dia, confira as dicas abaixo.

As folhas da árvore-da-felicidade macho (Polyscias guilfoylei) são resistentes ao sol pleno.


Com caule mais fino e folhas delicadas, a árvore-da-felicidade fêmea (Polyscias fruticosaprefere a meia-sombra.

Rega: 2x por semana. Mantenha o solo bem drenado. Para te ajudar nessa tarefa, ao plantar prefira substratos que contenham estilhas e casca de madeira na composição. Espécies tropicais, elas adoram receber borrifada de água nas folhas.

Iluminação: sol pleno ou meia-sombra. O tom das folhas oferece uma pista importante: quando mais claro, indica alta intensidade de luz. A árvore-da-felicidade macho é mais resistente ao sol, enquanto a fêmea prefere a meia-sombra. Para agradar as duas, é possível mantê-las sob esta condição ou ainda expô-las pouco a pouco ao sol, gradativamente, mais e mais a cada semana. Durante esse processo, chamado de rustificação (saiba mais a respeito na nossa matéria especial sobre iluminação), algumas folhas da fêmea provavelmente vão se queimar, mas persista e logo as novas nascerão adaptadas.


Outros nomes populares:
 Árvore-da-felicidade-macho, Arália-cortina, Árvore-da-felicidade-fêmea.

Problemas comuns: O vento frio é o ponto fraco dessas folhas delicadas. Para evitar que elas acabem caindo e algumas não voltem a nascer, mantenha a sua dupla protegida das correntes de ar.

Se a folhagem amarelar e for perdida durante o inverno, fique tranquilo. É normal que essas plantas cheguem a ficar com o caule quase vazio nesse período. Capriche na adubação e logo você verá seu verde surgir novamente.

Os nutrientes são importantes para mantê-las saudáveis e evitar os pulgões. Para garantir que esses parasitas fiquem longe da sua moradora, aplique óleo de neem em toda sua extensão.  

Uma dose extra de carinho em adubo associado à rega também é importante ao efetuar mudanças bruscas, como a troca de vaso ou de ambiente, processos que podem gerar estresse, especialmente à fêmea, e fazer com que as folhas sejam perdidas.

Como usar: Pode ser usada dentro e fora de casa para ocupar os espaços com seu porte e volume. Na sala, no banheiro, na varanda. 

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.