Dona de uma beleza surpreendente, a begônia-rex chama atenção por sua folhagem cheia de vida, com textura aveludada, laminada ou áspera, e tonalidades que vão do vermelho ao prata. O colorido das folhas chama tanta atenção que suas flores acabam passando despercebidas. É uma espécie que se adapta melhor em climas subtropicais e multiplica-se facilmente por estaquia e divisão (em breve ensinaremos mais por aqui). 


Rega: 
regar adequadamente é o grande segredo para o cultivo dessa espécie tão sensível. A begônia-rex adora água, mas o excesso pode fazer com que suas raízes apodreçam. Recomendamos molhar dia-sim, dia-não (em climas mais quentes), sempre observando a umidade do solo entre uma rega e outra. Ah, molhe o solo e não as folhas (o nosso regador de bico fino pode te ajudar nessa tarefa).

Iluminação:  escolha um local iluminado, mas onde a luz direta do sol não alcance. Meia-sombra ou luz difusa são ideais. A begônia costuma sofrer com o frio intenso e geadas. Por isso, mantenha ela protegida dentro de casa durante o inverno.



Outros nomes populares: 
begônia 

Como usar: com incontáveis variações, a begônia-rex fica linda quando misturada entre si, além de criar um belo contraste se colocada próxima de outras espécies. Por não alcançar um porte muito grande, é ideal para ser acomodada em vasos e cachepôs médios (os nossos reto 18 e bojudo 19 são perfeitos) e colocada em mesas, estantes e aparadores.



Dica da Selvvva: As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, não uma fórmula definitiva. As regas variam de acordo com o ambiente, a disponibilidade de luz, a umidade do ar, a temperatura, o recipiente onde a planta está acondicionada e as demandas específicas da espécie. O importante é sempre prestar atenção às respostas da sua planta e, assim, dosar a água de acordo com as condições em que se encontra. Preste sempre atenção para não deixar o solo encharcado ou água acumulada no fundo do vaso, evitando o apodrecimento das raízes.