Dentro ou fora de casa, essa #selvvvadodia multiplica suas cores com folhas verdes ou bordas pintadas de branco e variações cheias de vida em cada flor.

Ou pelo menos o que costumamos chamar de flor. Conhecidas como brácteas, essas estruturas de tons intensos são na verdade folhas que se modificaram ao longo da evolução. Afinal, na natureza todo esforço é válido para a preservação da espécie, atraindo os polinizadores para a reprodução.

A garantia de continuidade ao longo dos tempos é uma missão carregada de beleza pela bromélia-guzmania, que periodicamente também nos presenteia com pequenos brotos. Esse é o ciclo natural: a inflorescência principal morre, dando lugar a uma nova geração. Se a sua “flor” se foi, está tudo certo. Logo, as mudinhas que nasceram na base vão crescer e atingir a fase adulta, colorindo com outras inflorescências o seu cantinho.

Epífita que é, cresce na natureza agarrada aos troncos e pedras, usando essas superfícies como apoio para garantir sua proteção e ganhar alguns centímetros de altura. Assim, quanto mais afastada do solo, mais longe dos predadores e perto da luz. Tudo sem retirar nutrientes da planta parceira.

Boa parte do seu alimento é entregue estrategicamente por meio dos tanques, os pequenos espaços entre as folhas, que armazenam água e podem acolher microorganismos importantes para o seu desenvolvimento. As bromélias, em geral, abrigam um rico ecossistema.

Conheça todos os segredos da nossa planta do dia.

Acima, os tanques, os pequenos espaços entre as folhas, que armazenam água e podem acolher microorganismos importantes para o desenvolvimento das bromélias

Rega: 2x por semana. Essa espécie consegue suportar períodos curtos de estiagem. Os tanques, associados ao formato das folhas curvadas, estratégico para a captação da água, colaboram para manter a hidratação em dia. Por isso, regue sempre por cima, molhando essas estruturas. Assim, a reserva que ficar depositada nelas vai ser utilizada pouco a pouco pela sua planta.

Iluminação: Meia-sombra. Aproveite o sol da manhã, antes das 10h, ou do fim do dia, depois das 16h, para não queimar a folhagem.

Outros nomes populares: guzmania, bromélia, gusmânia, bromélia-denise

Problemas comuns: Suas folhas são sensíveis, por isso não é recomendável o uso de óleo de neem. Enquanto para as outras espécies este repelente natural oferece a proteção contra parasitas, para ela pode representar uma fonte de intoxicação.

Se você está se perguntando como manter os intrusos longe da sua bromélia, fique atento à boa luminosidade, à ventilação do ambiente e ao excesso de umidade, que pode fazer com que suas raízes apodreçam. Por isso, o substrato utilizado precisa garantir uma boa drenagem. Misturas apropriadas para o plantio de orquídeas ou bromélias dão conta dessa tarefa e podem ser encontradas com facilidade no mercado.

Observe a sua planta com frequência. Assim, aos primeiros sinais da presença de cochonilhas ou pulgões, use um pincel ou haste de algodão com um pouquinho de álcool e retire um a um, evitando possíveis infestações. Para ajudá-la a se manter saudável, não esqueça de oferecer mensalmente os nutrientes da adubação (consulte sempre se a composição do produto utilizado é adequada para bromélias).

Se a sua moradora já te presenteou com brotinhos, aguarde até que eles atinjam a vida adulta, com tamanho similar ao da planta-mãe, para transplantá-los para outro vaso. Assim você tem a segurança de que as novas plantas conseguirão se desenvolver de maneira independente.

Fique de olho também se, depois da rega, a água depositada nos tanques está sendo absorvida. O cuidado com a dosagem é importante para manter a sua planta saudável. A falta de água nessas estruturas pode levar ao ressecamento das folhas externas. O excesso, ao amarelamento e apodrecimento.

Pontinhos marrons na folhagem podem ser sinal de intoxicação por cloro. Por isso, prefira sempre a água filtrada ou a da chuva, que é livre dessa substância. Se o clima seco não contribuir para um pé d’água, use a da torneira, deixando-a descansar por 24h, tempo suficiente para que o cloro evapore. 

Como usar: Pode ser usada para trazer seu colorido aos jardins verticais. Se plantada em áreas externas, procure oferecer a ela a sombra de uma árvore.

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.