Com sua cabeleira descendo das alturas, essa selvvva do dia é uma das generosas da natureza. Seus ramos delicados carregam as folhas modificadas, os gomos gordinhos que, ao menor toque, se espalham sobre a terra para multiplicar o colorido dessa espécie.

Quando você se der conta, ela terá pintado o seu cantinho com tons que vão do verde ao azul. Capaz de atingir até 1m de comprimento, é uma das poucas suculentas pendentes que conseguem trazer volume para dentro ou fora de casa.

Pouco exigente nos cuidados, suporta períodos mais longos de estiagem. Fique tranquilo se precisar se ausentar por um tempo. Com uma boa rega, a dedo-de-moça estará pronta para te receber de volta, entre 10 e 15 dias depois.

Quer distribuir essa exuberância fazendo mudinhas? Corte o pedaço de um ramo, retire as folhas da ponta e enterre. Logo as raízes apontarão. Prefere replantar ramos inteiros? Está tudo certo. Cada um deles é independente e consegue ocupar um novo vaso. Você também pode deixar que ela brote sozinha: cada gomo que cai sobre a terra é capaz de dar origem a uma planta cheia de vida.

Na selvvva dos mais experientes ou de quem está despertando para o verde, a dedo-de-moça vai surpreender com sua resistência e beleza.

Rega: 1 x por semana. Diferentemente de outras suculentas, que costumam ser regadas com mais frequência e em menor volume, a dedo-de-moça suporta períodos de estiagem interrompidos por uma rega intensa, com bastante água. Isso porque seus ramos crescem uns sobre os outros, o que ajuda a evitar a desidratação com facilidade. Confira nosso guia especial sobre rega.

Iluminação: meia-sombra ou sol pleno. 
Verde é sinal de clorofila. E folhas escuras são repletas desse grupo de pigmentos em toda a sua superfície, prontos para captar com facilidade a luz usada na fotossíntese. Já para as mais claras este é um trabalho intenso, que pede iluminação reforçada para compensar a carência da tonalidade. Por isso, deixe a sua planta em um lugar que receba sol durante pelo menos 2h diárias. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: rabo-de-burro, rabo-de-cavalo, cauda-de-burro, bananinhas

Problemas comuns: Ramos que saem na mão depois de uma leve puxada indicam que você exagerou na rega. Colocar muita água durante um curto espaço de tempo pode fazer com que as raízes da sua dedo-de-moça apodreçam. Para te ajudar nessa tarefa, plante essa espécie em uma mistura de terra e areia, evitando que a água se acumule ao fundo.

Folhas mais próximas do solo, com aparência enrugada, indicam que a sua planta está precisando de água.

Se a sua suculenta morar dentro de casa, evite molhar os gominhos e concentre-se na terra durante a rega. Em ambientes internos a água leva mais tempo para evaporar e pode facilitar a proliferação de pulgões e cochonilhas, atraídos pelas folhas gordinhas e repletas de glicose. Para deixar esses invasores longe do seu verde, aplique óleo de neem.

Fique atento para que a dedo-de-moça receba sol durante pelo menos 2h diárias. Assim você evita o estiolamento, processo em que as plantas se estiram em busca de iluminação e acabam fragilizadas ao gastar tanta energia para esse crescimento desesperado.

Vinda de regiões quentes e secas, ela não se dá bem em ambientes úmidos, como o banheiro.

Se você experimentar replantá-la em um novo vaso, vai descobrir os gominhos que caem aos montes sobre a terra. Fique tranquilo. Logo eles vão dar origem a uma nova planta cheia de vida.

Como usar: descendo a cabeleira nas alturas. 

 

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!