Meia-sombra, sol pleno ou luz difusa. Se você está despertando para o verde e descobrindo como é a iluminação do seu cantinho, precisa conhecer a nossa selvvva do dia. Versátil, ela é capaz de se adaptar às três condições.

Resistente às pragas e ao ar-condicionado, essa planta consegue absorver substâncias químicas e purificar ambientes contaminados por alguns gases e poluentes. Sobram motivos para ela estar entre as favoritas dos paisagistas e decoradores.

Dentro de casa, além de colorir com seu volume e porte, que pode chegar a até 4m, colabora para deixar o espaço em ordem, já que raramente você verá folhas soltas no chão.

Pouco exigente nos cuidados, suporta períodos mais longos de estiagem. Fique tranquilo se precisar se ausentar por um tempo. Com algumas medidas preventivas, essa dracena estará pronta para te receber de volta, até 12 dias depois. Temos uma matéria que pode te ajudar nesses cuidados.

A pau-d'água é uma opção versátil para pintar de verde o ambiente, especialmente se a sua selvvva for compartilhada com crianças e animais de estimação. Afinal, essa planta não possui substâncias tóxicas. Confira nossa matéria sobre esse assunto.

Quer distribuir essa exuberância fazendo mudinhas? Corte um pedaço do tronco na diagonal, mergulhe-o na água, sempre deixando as folhas em contato com o ar. Leva um pouco de tempo, mas as raízes apontarão.

Rega: 1x ou 2x por semana. O solo mais rico em nutrientes é o ideal para essa planta. Por isso, ofereça a ela a terra vegetal.

Essa dracena também gosta da umidade do ar e vai adorar algumas borrifadas de água durante os dias mais secos. Confira nosso guia especial sobre rega.

Se a sua planta é um arranjo em vaso, troque a água 1x por semana, para manter o oxigênio em dia, evitar cheiros e mosquitos indesejáveis. A cada renovação, lave com sabão o recipiente, para não criar limo.

Iluminação: meia-sombra, sombra ou sol pleno.

A pau-d'água é capaz de se adaptar ao sol pleno, mas vá devagar. Exponha-a gradativamente, mais e mais a cada semana. Durante esse processo, chamado de rustificação, algumas folhas provavelmente vão se queimar, mas persista e logo as novas nascerão adaptadas. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: dracena, pau-d'água, coqueiro-de-vênus, tronco-do-brasil, dracena-deremenis, cana-índia, pau-do-brasil

Problemas comuns: Poucos problemas são capazes de derrubar essa guerreira. O excesso de água pode ser um deles. Por isso, observe os sinais que as folhas te dão: tons amarelados podem indicar que você pesou a mão na rega. Já a falta de água pode ser percebida se as folhas mais perto do solo ficarem com aparência caída.

As folhas grandes e largas podem rasgar com a força do vento. Fique de olho e mantenha a pau-d'água protegida das correntes de ar.

Se a sua planta é um arranjo em vaso, lembre-se de que a água não oferece as condições ideais para ela se desenvolver. Por isso, procure levar as hastes para a terra, lugar ideal para crescer cheia de vida.

De tempos em tempos, essa espécie presenteia com flores de perfume adocicado, que costumam atrair abelhas. Durante esse período, ela fica mais sensível à presença de ácaros. Para evitar esses invasores, aplique pó de fumo e lembre-se de manter a adubação em dia.

Como usar: plantada na terra ou como arranjo em vasos com água.

 

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!