Quando pensamos em jardins verticais, logo associamos às “paredes verdes”, completamente cobertas por plantas. Esse modelo foi pensado e difundido pelo botânico e paisagista francês Patrick Blanc, cujo primeiro projeto do tipo foi o Parc Floral de Paris, em 1994. Não demorou e sua técnica se espalhou por prédios públicos, residências, museus e hotéis em cidades como São Paulo, que recebeu uma intervenção de Blanc no prédio da FAAP, em 2004.

Esse tipo de cobertura se popularizou muito nas últimas duas décadas, especialmente em fachadas e varandas, e logo chegou à escala urbana, como podemos ver nos corredores de paredes verdes criados pelo Movimento 90°, na Av. 23 de maio e no Minhocão.

Blanc também levou o projeto para dentro de sua própria casa: cobriu de verde uma parede enorme em seu escritório. Foto: Patrick Blanc

Dentro de casa, é possível apostar em outras opções com plantas para trazer vida às paredes. Você pode montar cada uma por conta própria e ainda combiná-las com outros elementos decorativos. Como não dependem de um sistema de irrigação automatizado, as 3 ideias listadas a seguir priorizam o contato entre os moradores e as espécies botânicas. Afinal, uma das partes mais prazerosas de manter seu próprio jardim é observar as plantas bem de pertinho ao longo de sua evolução, colocar o dedo na terra, dosar a sua rega. Assim você pode conhecer melhor as necessidades de cada uma e aproveitar quando uma nova folha (ou flor) surgir!

Olha só as nossas sugestões:

1. Prateleiras com plantas

O jeito mais simples de colocar as plantas na parede é apoiá-las em prateleiras, tanto as que você já usa com outros objetos, quanto as específicas para plantas. É possível pensar em uma composição de prateleiras afixadas em diferentes alturas (e brincar com a cor delas, dos cachepôs e das espécies botânicas que vão ser dispostas).

Também é possível fazer um jogo visual na parede com outros elementos, como quadros, molduras e espelhos. Assim você enriquece seu ambiente com diferentes texturas e integra o verde às outras escolhas que compõem a essência da sua casa. 

2. Hangers

Hangers trazem calor ao ambiente. Práticos para pendurar plantas, estes suportes podem ser fixados no teto ou na parede, com a ajuda de um gancho. Os mais conhecidos são feitos de corda a partir da técnica macramê, em que os fios são tecidos manualmente, sem o uso de nenhuma ferramenta. A combinação hanger + cachepô + planta já fica interessante, mas dá para ir além e pensar numa composição com hangers em alturas diferentes num canto da sala (ou em outros cômodos da casa). Conheça algumas opções em couro e barbante, disponíveis na nossa Selvvva.

Outra opção prática como os hangers, os cachepôs com correntes acopladas também podem ser apoiados em ganchos fixados tanto no teto quanto nas paredes. Experimente composições com ganchos divertidos, como este, em formato de coração.

 

3.Trepadeiras

Por fim, a natureza tem a sua própria proposta de ocupar as paredes com plantas. Várias espécies só precisam de um apoio para guiar seu crescimento, e algumas são capazes inclusive de se fixar na superfície, sem ajuda extra, quando há algum tipo de rugosidade. O resultado costuma ser lindo e orgânico.

Algumas espécies de trepadeiras:

- costela-de-adão (Monstera deliciosa);
- hera (Hedera hélix);
- jasmin-estrela (Jasminum nitidum).

A costela-de-adão consegue se fixar em superfícies rugosas como é o caso dessa parede de alvenaria

Trepadeira guiada por cabo de aço

Ah! Sugerimos também algumas espécies que ficam ótimas em jardins suspensos:

filodendro-pendente (Philodendron scandens);
samambaia-americana (Nephrolepsis exaltata);
- lambari (Tradescantia zebrina);
- columeia-batom (Aeschynanthus pulcher);