Em efeito cascata ou "subindo pelas paredes", a jiboia é uma das espécies favoritas de quem passa pela Selvvva. Originária das Ilhas Salomão, país localizado no Pacífico, ela tem folhas grandes e espessas - com textura semelhante ao couro - e manchas brancas ou amarelas quando adultas. As plantas ainda jovens e as que crescem na sombra possuem ramagem fina e folhas pequenas sem manchas. Uma curiosidade sobre a jiboia é que ela filtra impurezas do ar, como formaldeídos, além de monóxido de carbono e benzeno.


Rega: 
pouco tolerante a baixas temperaturas, é uma planta que gosta de umidade. Caso a sua espécie esteja apoiada em paredes rugosas ou árvores, uma boa dica é borrifar água diretamente na superfície de apoio.  A umidade estimula o surgimento e crescimento das raízes responsáveis pela fixação da planta. A rega pode variar de 2 a 3 vezes na semana, lembrando sempre de conferir o solo antes de molhá-la novamente. 

Iluminação:  ela se adapta bem ao sol pleno ou meia-sombra. Como geralmente é criada em estufas à meia-sombra, para ficar exposta ao sol pleno precisa passar por um processo de adaptação, chamado rustificação. Contaremos mais a respeito em breve.

Problemas comuns:  infestação de cochonilha por falta de adubação, uma praga comum em plantas ornamentais. Neste caso, deve-se eliminar as partes afetadas e usar calda de fumo, uma boa alternativa natural, ou pesticidas botânicos para tratar os efeitos do ataque. 

Outro nome popular:  jiboia-verde, hera-do-diabo, jiboia brasil

Como usar: Em ambientes internos, costuma ser cultivada apoiada em suporte de fibra natural ou pendente em cachepôs ou hangers. É também uma ótima opção de forração em vasos ou canteiros.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e o tipo da espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas e condições da sua espécie. É importante não exagerar na quantidade de água! Prefira aumentar a frequência das regas em vez de aumentar o volume de água colocado.