As hastes pontudas e compridas dão o nome a essa planta. Guerreira até nas condições mais intensas, ela é resistente ao clima seco dos ambientes com ar-condicionado, aos períodos longos de estiagem, e à falta ou excesso de luminosidade. 

Versátil, se adapta à meia-sombra, sol pleno ou luz difusa. Sua presença na selvvva dos mais experientes ou daqueles que acabam de despertar para o verde vai além da exuberância e da praticidade dos cuidados.

Há quem diga que a lança-de-são-jorge pode afastar as energias negativas. Por isso, é comum encontrá-la cheia de vida na entrada das casas por aí, com até 90 cm de altura.

Quando ainda é do tamanho de uma mudinha, pode ganhar formas inusitadas, criadas por mãos pacientes e criativas. De trançados a corações, sobra imaginação para aproveitar o movimento que as hastes fazem em busca da luz.

Plantada na terra ou como arranjo em vasos, não faltam motivos para essa parente da espada-de-são-jorge fazer parte do seu verde.

Rega: 1x por semana. As hastes gordinhas, prontas para armazenar água, suportam períodos longos de estiagem. Fique tranquilo se precisar se ausentar por um tempo. Com uma boa rega, ela estará te esperando, entre 15 e 20 dias depois. Confira nosso guia especial sobre rega.

Se a sua lança-de-são-jorge é um arranjo em vaso, troque a água 1x por semana, para manter o oxigênio em dia, evitar cheiros e mosquitos indesejáveis. A cada renovação, lave com sabão o recipiente e as pedrinhas, para não criar limo.

Iluminação: meia-sombra, luz difusa ou sol pleno. Antes de mantê-la em sol pleno, faça a rustificação: exponha-a gradativamente, mais e mais a cada semana. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: lança

Problemas comuns: o apodrecimento das raízes é um dos poucos problemas capazes de derrubar essa guerreira. Por isso, fique atento para não pesar a mão na rega em espaços curtos de tempo e use a mistura de terra e areia para plantá-la, evitando que a água se acumule ao fundo.

A película das hastes é pouco convidativa para invasores, o que faz com que a lança não precise da aplicação de óleo de neem. Mas fique de olho, vez ou outra o excesso de umidade pode atrair cochonilhas.

Pouco exigente nos cuidados, raramente precisa de adubo. A não ser que as hastes comecem a amarelar. Se de tempos em tempos você preferir dar a ela estes nutrientes, prepare-se. A fome de crescer da sua planta vai aumentar, e logo ela vai precisar de um novo vaso.

As raízes robustas se espalham por toda a extensão, em busca de mais espaço, e podem quebrar o pote. Troque o recipiente de tempos em tempos.  Você também pode aproveitar para distribuir mudas.

Se a sua planta é um arranjo em vaso, lembre-se de que a água não oferece as condições ideais para ela se desenvolver. Por isso, procure levá-la para a terra, lugar ideal para crescer cheia de vida. 

As versões que recebem o toque criativo com formatos inusitados precisam de uma mãozinha para manterem trançados e curvas à medida que crescem. 

Como usar: plantada na terra ou como arranjo em vasos, de portes variados.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!