Dono de folhas de verde intenso e brilhante, o pacová é uma espécie nativa do Brasil, encontrada aos montes em regiões cobertas pela Mata Atlântica (SP, RJ e no PR). Na natureza, a planta comporta-se como epífita: nasce e vive agarrada a outras espécies botânicas, garantindo assim mais luz. Mas o pacová também vai muito bem em vasos, já que tem um caule curto e em forma de haste que sustenta sua folhagem exuberante.


Rega: 
gosta de rega moderada, em geral 1 vez por semana é suficiente. O solo deve ficar sempre moderadamente úmido, nunca encharcado.

Iluminação:  como seu ambiente nativo tem clima quente e úmido, o pacová não é muito fã de baixas temperaturas. Recomendamos cultivá-lo em áreas de luz indireta, ou à meia-sombra – com incidência de sol ameno do início ou fim do dia.

Problemas comuns:  apesar de ser uma espécie tropical, é preciso sempre observar como ela reage à luminosidade. Com sol direto em excesso, pode ganhar folhas amareladas ou manchas de queimaduras. Se isso acontecer, mude o pacová para um local de luz difusa. Outro problema comum é o apodrecimento da planta por excesso de água.

Outro nome popular:  Babosa-de-pau; babosa-de-árvore.


Foto: Maura Mello

Como usar: 
o grande destaque do pacová são suas folhas, grandes e muito brilhantes. Vê-las de cima é um previlégio. Lembre-se: ele pode crescer bastante. Por isso, você pode acomodá-lo diretamente em canteiros ou em vasos e cachepôs grandes (descubra aqui algumas opções oferecidas pela Selvvva), no chão – ou apoiado em suportes abaixo da linha do olhar.

Conheça também a costela-de-adão, outra espécie que gosta de meia-sombra.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e o tipo da espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas e condições da sua espécie. É importante não exagerar na quantidade de água! Prefira aumentar a frequência das regas em vez de aumentar o volume de água colocado.