Com aspecto "engomadinho" e folhas carnudas, a Peperomia caperata é uma espécie rústica ornamental, que pode ser sua nova amiga decorando mesas e estantes ou também uma boa companheira como forração em áreas sombreadas (como costuma ser encontrada na natureza). Também chamada de rabo-de-rato, tem tonalidades que variam entre cinza-prateado, verde-escuro ou avermelhada, com efeito metálico. Carrega um segredinho especial: por possuir folhas em tons mais escuros, adapta-se bem em locais de pouca luminosidade (o que não significa sem luz) e baixa umidade, onde outras plantas não resistiriam.

As versões avermelhada e verde-escuro nas folhas carnudas da peperômia caperata.

Rega:  aqui na Selvvva, recomendamos que ela seja regada dia-sim, dia-não, mas de forma moderada, procurando manter o solo sempre úmido (nunca encharcado) e com atenção para não molhar as folhas (nada de borrifar): isso pode apodrecê-las.

Iluminação: 
por ser uma planta que se adapta bem à meia-sombra, pode ficar pálida e murcha se exposta ao sol direto. Ao perceber algum desses sinais, mova sua peperômia para um local menos iluminado.

 

Problemas comuns:  cuidado para não errar a mão na rega. O solo encharcado, além de facilitar o apodrecimento da planta, pode fazer com que ela aborte suas folhas. Fique atento também se a adubação está em dia. A falta de nutrientes pode atrair pragas e matá-la.


A raiz pequenininha da peperômia faz com que a espécie fique confortável em vasos e cachepôs pequenos.

Outros nomes populares: peperômia; rabo-de-rato.

Como usar: 
espécie ideal para quem tem pouco espaço em casa, mas não quer abrir mão de um toque verde, fica bem em mesas de centro, prateleiras ou naquele cantinho sombreado da sala. Por não precisar de tanto espaço para sua raiz, pode ser cultivada em um vaso pequeno (fica linda nos nossos cachepôs bojudo 13), levando bastante tempo para necessitar de recipientes maiores.

 

Aqui, no nosso bojudinho 13 em duas situações diferentes: à esquerda, dividindo o suporte garça com o cachepô friso; à direita ocupando um cantinho da estante.

Dica da Selvvva: As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, não uma fórmula definitiva. As regas variam de acordo com o ambiente, a disponibilidade de luz, a umidade do ar, a temperatura, o recipiente onde a planta está acondicionada e as demandas específicas da espécie. O importante é sempre prestar atenção às respostas da sua planta e, assim, dosar a água de acordo com as condições em que se encontra. Preste sempre atenção para não deixar o solo encharcado ou água acumulada no fundo do vaso, evitando o apodrecimento das raízes.