Você já viu essa trepadeira por aí, apontando sobre canteiros, paredes ou troncos. Usada como estratégia para esconder imperfeições nas paredes e habitar a terra dominada por outras espécies maiores, nossa selvvva do dia pinta de verde os lugares menos favorecidos.

Essa planta está entre as que podem tolerar as condições adversas sob a sombra de algumas árvores. Afinal, poucas resistem à disputa por água e nutrientes, à pouca luz, que chega ao chão filtrada pelas copas, e à terra compactada e pobre, habitada pelas raízes robustas e profundas das vizinhas.

Mas adaptar-se às condições das sombras-secas, como são conhecidas essas áreas sombreadas ao pé das árvores, não são seus únicos méritos. Suportar lugares mais quentes, como os próximos às vidraças que recebem a luz intensa do sol, também aumenta sua fama de guerreira.

Seja pela capacidade de adaptação ou resistência, o singônio merece um lugar na sua selvvva.

Rega: 2x por semana. Suas raízes delicadas podem apodrecer com o excesso de umidade. Fique atento quanto à frequência e ao volume das regas e aproveite para fazer do substrato o seu aliado: utilize uma mistura de areia e terra para plantá-la no vaso, assim a água não fica retida e consegue escoar com mais rapidez.

Iluminação: Meia-sombra.

Problemas comuns: As folhas podem te dar pistas sobre os problemas mais comuns. Por isso, ao notar um tom amarelado, fique de olho se você está exagerando na rega ou se o vaso está com problemas para escoar a água. 

Pontos amarelados ou brancos, que deixam o verde para lá de desbotado, podem indicar a presença de ácaros. Para combatê-los, aplique com frequência o óleo de neem, um repelente natural. Mas se essa matéria chegou tarde demais e esses invasores já estão passeando por aí, trate a sua planta com chá de pó de fumo ou inseticida, e lembre-se: essa guerreira não dispensa o adubo para se manter protegida e crescer cheia de vida.

A falta de nutrientes pode fazer com que suas folhas nasçam espaçadas. Nesse caso, capriche na poda para trazer a exuberância de volta. Corte a 3 dedos da raiz e fique atento à adubação.

Como usar: Como forração criando desenhos nos jardins, subindo pelas paredes ou esbanjando beleza nos cachepôs. Essa planta também pode ser usada em composição com outras espécies em vasos.

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.