Quatro estações: como cuidar das plantas no outono

Se você é dono de uma mudinha ou perdeu as contas de quantas espécies moram por aí, já deve ter pedido socorro ao ver o colorido das folhas no chão entre março e agosto. 

No dia a dia não é tão fácil perceber a conexão entre o tempo e a natureza, mas as plantas são influenciadas por condições que se modificam no decorrer do ano, conforme cada estação. (Temos uma matéria especial sobre esse assunto)

Quando o verão se despede, é hora de diminuir o ritmo. Afinal, as plantas dedicaram tudo o que podiam para fazer a fotossíntese, e em breve os dias mais longos, com ampla oferta de raios de sol, vão ficar para trás.

O outono vem acompanhado da queda da temperatura e da disponibilidade de luz, que estimulam alterações no comportamento do verde, para pouparem energia e se prevenirem para a chegada do inverno.

Por isso, durante esse período, é fundamental alguns cuidados com as suas moradoras:

1) Observe a disponibilidade de luz

É comum que a luminosidade do cantinho que você escolheu para a sua companheira seja modificada conforme as estações se alteram. É possível, por exemplo, que aquela área da sala que não recebia a luz do sol no verão passe a ser um ambiente claro no outono, iluminado pela manhã e no fim da tarde. Ficar atento a essa mudança é importante para garantir a oferta de luz ideal.

2) Fique de olho na rega 

Dias que misturam calor, frio, chuva, vento. O outono reúne diferentes características que podem afetar a rotina de rega. Por isso, cheque a terra: afunde o dedo cerca de 4 ou 5 cm. Se a superfície estiver seca e a área mais abaixo úmida, é hora de colocar água. (Temos conteúdo que pode te ajudar)

3) Não se assuste com a perda de folhas de algumas espécies 

Na natureza vale tudo para garantir a sobrevivência. Isso quer dizer deixar de lado aquilo que possa representar perda de energia. Por isso, algumas plantas se libertam de parte da folhagem, para poupar o esforço da fotossíntese. Quer alguns exemplos? Ficus-lyrata, clusia, árvore-da-felicidade e cróton.

4) Mantenha a adubação em dia

Continuar oferecendo os nutrientes para as suas companheiras também é fundamental, especialmente para algumas espécies que começam a despertar os botões durante esta estação, como o lírio, as azaleias, quaresmeiras, manacás, ipês e cerejeiras.

5) Cuide também das plantas que entram em dormência

Quando os dias são mais curtos e a temperatura cai, algumas espécies se libertam das folhas e caules e adormecem até a próxima estação. 

Serem esquecidos dentro de um vaso durante a fase bulbo é o problema mais frequente associado aos caládios, por exemplo. Durante o período de dormência, é fundamental continuar regando e adubando as suas moradoras.

6) Aproveite para podar

O outono oferece ótimas condições para você podar a sua companheira. Mande embora as folhas secas, apodrecidas ou amareladas e dê uma forcinha para que ela possa dedicar a energia para a formação de brotos saudáveis quando a primavera chegar. (Temos conteúdo que pode te ajudar)

7) Evite fazer mudas 

Se a regra é poupar durante o outono, esse não é o melhor período para o seu verde se multiplicar. Afinal, criar raízes e brotos é uma tarefa que demanda nutrientes e energia.

Isso não significa que uma mudinha não possa aparecer por aí, mas será um processo mais lento e pode não resultar em novas plantas saudáveis e cheias de exuberância.