Para 5%off na sua 1ª compra, use o cupom: BEMVINDOSELVVVA

Selvvva do dia: corações-emaranhados / Ceropegia woodii

corações-emaranhados R$80

Com folhas delicadas, que parecem ter sido criadas à mão, essa planta vai te conquistar. Os ramos finos carregam pequenos corações descendo das alturas, para inspirar a selvvva dos mais experientes.

Sua aparência não dá pistas de que seja uma espécie suculenta. Mas basta chegar mais perto para ver a folhagem gordinha, pronta para guardar a reserva de água e nutrientes. De tempos em tempos, a corações-emaranhados presenteia com suas flores exóticas, os pequenos tubos que colorem de rosa e roxo as estações mais quentes.

Dentro ou fora de casa, essa planta pendente pode surpreender com seu comprimento, atingindo entre 2 e 4m. Com cuidados semelhantes aos da colar-de-pérolas, ela guarda alguns segredos para crescer cheia de vida. Confira as dicas sobre a nossa selvvva do dia.

Rega: 2x por semana. Embora seja uma espécie suculenta, essa planta precisa que o substrato esteja levemente úmido e não seque por completo, nem fique encharcado, até a próxima rega. Confira nosso guia especial.

Iluminação: meia-sombra. Verde é sinal de clorofila. E folhas neste tom são repletas desse grupo de pigmentos em toda a sua superfície, prontos para captar com facilidade a luz usada na fotossíntese. Já para as variegadas este é um trabalho intenso. Mesclada com manchas prateadas, a folhagem da corações-emaranhados pede mais iluminação para compensar a carência da tonalidade. Por isso, dê a ela um cantinho que receba a luz direta do sol antes das 9h ou depois das 16h, durante no máximo uma ou duas horas diárias. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: coração-emaranhado.

Problemas comuns: Diferentemente da maioria das suculentas, que necessitam de longos períodos de luz direta, a corações-emaranhados pode ver sua folhagem murchar e secar em pouco tempo sob o sol impiedoso. Por isso, fique atento ao horário de exposição recomendado acima e não ultrapasse as 2h diárias.

A falta ou excesso de água também podem ser fatais para essa espécie sensível. Plantá-la em uma mistura de terra e areia ajuda a evitar que a água se acumule ao fundo, cuidando para que as raízes não apodreçam.

Se a sua planta morar dentro de casa, evite molhar as folhas e concentre-se na terra durante a rega. Em ambientes internos a água leva mais tempo para evaporar e pode atrair pulgões e cochonilhas. Para deixar esses invasores longe do seu verde, mantenha o ambiente ventilado.

Folhas enrugadas na superfície indicam que a sua planta pode estar precisando de água. Caules amarronzados, que saem na mão depois de uma leve puxada, podem ser sinal de que você pesou a mão na rega e as raízes estão apodrecendo.

Se a sua moradora está com poucos ramos, faça mudinhas: coloque na água os pequenos tubérculos que despertam ao longo dos caules ou na base das folhas. Além disso, lembre-se dos nutrientes essenciais e mantenha a adubação em dia.

Como usar: A exuberância dessa planta pode colorir o seu cantinho de verde, prata e roxo em qualquer ângulo: vista de cima ou pendente.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!