Selvvva do dia: filodendro-cordato / Philodendron hederaceum

Quem resiste a essa exuberância? Cada ramo carrega os corações descendo das alturas. A beleza não é o único motivo para fazer dela uma das favoritas nas selvvvas por aí, especialmente nas de quem está despertando para o verde.

Descendo a cabeleira ou subindo pelas paredes como trepadeira, o filodendro é pouco exigente nos cuidados e perspicaz nos sinais que dá sobre suas condições: uma folha amarelada aqui, outra enrolada ali. Tudo a tempo de uma dose de carinho para você observar e tomar as medidas para o seu verde voltar a ficar cheio de vida.

Epífita que é, cresce na natureza agarrado aos troncos e pedras, usando essas superfícies como apoio para garantir sua proteção e ganhar alguns centímetros de altura. Assim, quanto mais afastado do solo, mais longe dos predadores e perto da luz. Tudo sem retirar nutrientes da planta parceira.

Essa moradora costuma ser confundida com uma parente próxima, a jiboia. Coloque-as lado a lado e logo você vai notar o caule mais flexível, o crescimento acelerado, além do formato largo das folhas, que confere ao filodendro os corações perfeitos. Assim como sua prima e outros membros da família das Araceae, entre eles comigo-ninguém-pode e costela-de-adão, possui a fama de ser tóxica. (Confira aqui nossa matéria especial sobre esse assunto)

Tudo por conta da presença do oxalato de cálcio, substância que causa irritação quando em contato com as mucosas. Mas, bastam a observação e o cuidado para um convívio harmônico entre a sua planta, crianças e pets. Afinal, assim como a maioria das espécies ornamentais, ela não é comestível e, portanto, não deve ser ingerida.

Plantada em potes ou como arranjo em vasos, essa espécie é versátil e pode deixar os banheiros iluminados mais aconchegantes, sempre em áreas com boa ventilação. Além disso, é resistente aos ambientes climatizados com ar-condicionado. Confira nosso conteúdo a respeito

Quer distribuir mudinhas por aí? A fome de crescer é uma característica do filodendro. Corte um pedacinho de caule abaixo do nó, coloque em um copo com água e logo as raízes apontarão.

Rega: 2x por semana. Espécie tropical, o filodendro adora receber borrifada de água nas folhas, especialmente nos dias mais secos. Os substratos para orquídeas ou samambaias são ótimas escolhas na hora de plantá-la. Confira nosso guia especial sobre rega

Iluminação: meia-sombra ou luz difusa. Confira nosso guia especial sobre iluminação

Problemas comuns: Fique atento às pistas que a folhagem te dá. Folhas que enrolam podem indicar que está faltando água por aí. Folhas mais próximas da terra que ganham tom amarelado ou ficam com as pontas queimadas demonstram que você pesou a não na rega. Folhas amareladas ao longo de outras partes do ramo te contam sobre a falta de nutrientes.

Pontinhos marrons podem ser sinal de intoxicação por cloro. Por isso, prefira sempre a água filtrada ou a da chuva, que é livre dessa substância. Se o clima seco não contribuir para um pé d’água, use a da torneira, deixando-a descansar por 24h, tempo suficiente para que o cloro evapore. 

Essas folhas largas costumam acumular pó. Use um pano umedecido para limpá-las e favorecer as trocas gasosas por aí. É comum também que na falta das condições ideais a sua planta fique com pouco volume, com um ou outro ramo muito longo. Cuide sempre para manter a adubação em dia e borrifar água em toda sua extensão. Você também pode cortar um pedaço antes do nó e enterrá-lo no pote, multiplicando essa exuberância.

Ofereça sempre os nutrientes essenciais, assim você mantém ela saudável e resistente contra os parasitas. Para deixar os invasores longe do seu verde, aplique óleo de neem, um repelente natural, e evite o excesso de umidade, que pode favorecer a proliferação de fungos, ácaros e cochonilhas.

Se o seu filodendro é um arranjo em vaso, lembre-se de que a água não oferece as condições ideais para ele crescer e se multiplicar. Por isso, procure levá-lo para a terra, lugar ideal para um desenvolvimento pleno.

Está tudo certo se você notar pontinhas despontando nos ramos. Essas raízes aéreas são lançadas em busca de luz e umidade e demonstram que sua planta está crescendo cheia de vida. Se elas estiverem grandes por aí, verifique se o pote está pequeno para a sua moradora: é comum que na falta de espaço na terra ela invista a energia nessas estruturas.

Outro nome popular: filodendro-pendente, hera-de-sala.

Como usar: em cachepôs nas alturas, para aproveitar o efeito pendente, ou subindo pelas paredes.

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.