Selvvva do dia: lavanda / lavandula sp.

O lilás inconfundível que chama atenção de longe. O perfume que desperta memórias. Você já viu essa planta por aí pintando os campos e as varandas, ganhando pins nas redes sociais. 

Do paisagismo à extração de óleos essenciais, sobra popularidade no uso das variadas espécies de lavanda. Entre as mais cultivadas estão a francesa (L. x intermedia), a inglesa (L. angustifolia ou L. officinalis) e a espanhola (L. stoechas).

Por estarem acostumadas às altitudes elevadas, sob o clima ameno, poucas se adaptaram em ambientes com condições diferentes. No Brasil, a Lavandula dentata é uma das que pinta as montanhas no interior de São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Capaz de colorir o inverno, o despertar das flores não abre mão de 3h diárias de sol, entre as 10h e as 17h. Os nutrientes da adubação também são essenciais.

Na época da floração, é comum essa moradora se dedicar à reprodução, investindo toda sua energia em uma nova geração. Sempre que os pequenos botões despertam, ela vai se enfraquecer e ficar menos volumosa. Por isso, se você prefere a exuberância da folhagem, corte o ramo dois dedos abaixo das folhas que estão perto das flores. 

Podar é importante para estimular o nascimento de folhas e ramos novos, fortalecê-la e ajudá-la a viver mais, já que essa espécie aromática possui um ciclo curto e costuma durar pouco menos de um ano.

Rega: 2x por semana. Mantenha o solo úmido, nunca encharcado. Confira nosso guia especial sobre rega. 

Se a sua lavanda ainda é uma mudinha e foi plantada recentemente, coloque água diariamente, durante o primeiro mês, para ela se adaptar.

Iluminação: sol pleno. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: lavanda, alfazema, lavanda-francesa, lavanda-inglesa, lavanda-espanhola.

Problemas comuns:

Exigente na rega, quando está com sede essa moradora dá sinais dramáticos, protagonizados por folhas completamente murchas e caídas. Basta caprichar na hidratação para ela levantar cheia de vida. 

Folhas amareladas podem indicar que você pesou a mão na rega e a drenagem não está funcionando bem. 

Folhas pálidas ou manchadas dão pistas sobre o pH ácido do solo. Use calcário para mantê-lo alcalino ao perceber esses sinais na sua companheira .

Delicadas, as raízes da nossa selvvva do dia podem apodrecer com o excesso de água. Por isso, faça do substrato o seu aliado e use a mistura de terra e areia para cultivá-la. Evite plantá-la junto com outras espécies, que podem disputar espaço com a nossa selvvva do dia.

O óleo essencial faz dela uma espécie resistente aos predadores, mas fique de olho na presença de cochonilhas e lagartas.

Como usar: em cachepôs ou canteiros.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!