Para 5%off na sua 1ª compra, use o cupom: BEMVINDOSELVVVA

Selvvva do dia: peperômia / Peperomia-obtusifolia

Guerreira, essa planta pede pouco em troca da sua exuberância, dentro ou fora de casa. Embora sua fome de crescer não chame atenção, o volume rasteiro, que se espalha devagar, pinta a selvvva dos mais experientes ou de quem acaba de despertar para o verde.

Graças à folhagem gordinha, pronta para armazenar água, a peperômia é capaz de suportar a estiagem e, com uma boa rega, estará te esperando até 10 dias depois, se você precisar se ausentar.

As cores dessa moradora te dão pistas importantes: verde é sinal de clorofila. E folhas neste tom são repletas desse grupo de pigmentos em toda a superfície, prontos para captar com facilidade a luz usada na fotossíntese. Já para as variegadas este é um trabalho intenso. Mescladas com manchas em branco ou amarelo, elas pedem mais iluminação para compensar a carência da tonalidade.

Quer distribuir mudinhas por aí? Não se deixe enganar pelas raízes emaranhadas. Cada ramo é uma planta independente. Separe as touceiras e ocupe um novo vaso.

Além de resistente, a peperômia-obstusifólia é uma opção versátil se a sua selvvva for compartilhada com crianças e animais de estimação. Afinal, ela não possui substâncias tóxicas. Confira nossa matéria a respeito.

Rega: 1x por semana. Para evitar que as raízes apodreçam com o excesso de água, faça do substrato o seu aliado: use uma mistura de terra e areia para plantar a sua peperômia. Quer ver a sua moradora feliz? Borrife água nas folhas durante os dias mais quentes. Confira nosso guia especial sobre rega.

Iluminação: meia-sombra ou luz difusa para as peperômias de folhas verdes, ou meia-sombra para a versão variegada. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Outros nomes populares: peperômia-variegada

Problemas comuns: O apodrecimento das raízes é um dos poucos problemas capazes de derrubar essa guerreira. Manchas pretas nas pontas das folhas, ou ramos que se soltam da terra sem as raízes após uma leve puxada, indicam que você pesou a mão na rega e a drenagem não está funcionando. Se esses sintomas já apareceram por aí, retire as folhas prejudicadas e a parte afetada do caule. Plante o que sobrou desse verde.

Diferentemente de outras espécies, que na falta de água ficam com folhas murchas, apontando para baixo, essa peperômia demonstra sua sede apenas ficando mais pálida. Basta uma boa rega para ter de volta o seu colorido cheio de vida. Fique de olho: os ramos desta planta são individuais e não compartilham o sistema de irrigação com os demais. Por isso, regue de maneira uniforme, por toda a superfície.

Essa espécie não costuma atrair parasitas, como pulgões e cochonilhas.

Não se assuste se um caule comprido e sem folhas aparecer por aí. É a flor dessa moradora apontando na sua selvvva.

Como usar: descendo a cabeleira, distribuindo sua exuberância nos cachepôs e vasos.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!