Para 5%off na sua 1ª compra no site, use o cupom: BEMVINDOSELVVVA (exceto produtos em promoção)

Plantas da sorte

Atrair prosperidade, renovar as forças e proteger contra as energias negativas. Começamos o ano com uma seleção para colorir a selvvva dos supersticiosos.

Bambu-da-sorte

Sorte, prosperidade, união. Na terra ou na água, essa planta traz a tradição oriental da harmonização dos ambientes e bons fluidos. Resistente e flexível, ela remete aos encantos do bambu, mas pertence à família das dracenas, como a pleomele.
Seja pela capacidade de purificar o ar ou pela facilidade de se multiplicar, o bambu-da-sorte é uma dose de carinho para homenagear o novo e presentear em nascimentos, casamentos, formaturas, entre tantas outras comemorações.

Espada-de-são-jorge

Nem só do nome místico vive essa planta, usada para afastar energias negativas por aí. Quando o olhar da ciência encontrou a espada-de-são-jorge, descobriu que ela tem a capacidade de absorver substâncias químicas e purificar o ar contaminado por alguns gases e poluentes.
Resistente, é pouco exigente nos cuidados e suporta diferentes condições de luminosidade, dentro ou fora de casa. Na selvvva dos mais experientes ou daqueles que acabam de despertar para o verde, essa espécie é dura na queda.

Lança-de-são-jorge

As hastes pontudas e compridas dão o nome a essa planta. Guerreira até nas condições mais difíceis, ela é capaz de resistir a períodos longos de estiagem. Há quem diga que a lança-de-são-jorge pode afastar as energias negativas. Por isso, é comum encontrá-la cheia de vida na entrada das casas, com até 90 cm de altura.

Comigo-ninguém-pode

Dona de tons vibrantes, com grafismos variados, essa espécie pode ganhar porte de uma pequena árvore. Com sua beleza cercada de mitos, começando pelo nome popular, ela carrega não só a fama de afastar o mau-olhado e absorver energias negativas, como também de ser uma espécie venenosa.

Lado a lado com outros membros da família das Araceaes, entre eles costela-de-adão e guaimbê, a comigo-ninguém-pode é considerada tóxica. Tudo por conta do oxalato de cálcio, substância guardada no interior das folhas e caules, que causa irritação quando em contato com as mucosas. Isso não faz dela uma planta que não possa morar na sua selvvva. Bastam a observação e o cuidado para um convívio harmônico com crianças e pets. Afinal, assim como a maioria das espécies ornamentais, ela não é comestível e, portanto, não deve ser ingerida. (Confira aqui nossa matéria sobre esse assunto)

Arruda

É na proteção contra as energias negativas que mora a fama da arruda, uma das plantas que fazem parte de um clássico na selvvva dos supersticiosos: o vaso de sete-ervas.

Encoste nas folhas delicadas e você vai sentir o cheiro marcante e intenso, que leva muita gente a torcer o nariz. Assim como outras espécies aromáticas, como alecrim e manjericão, ela necessita de ao menos 4h ou mais horas diárias de sol intenso, entre as 10h e as 16h, com rega 3x por semana.

Pilea

Se você está acostumado a “pinar” imagens, já deve ter visto essa moradora por aí. Não faz muito tempo, ela ganhou espaço nos perfis do Pinterest.

Quem não conhece seu nome popular, planta-chinesa-do-dinheiro, não imagina que ela carregue a fama de atrair prosperidade. A pilea vai bem dentro de casa e pode surpreender até quando fora das condições ideais, tornando-se uma pequena árvore.

Dinheiro-em-penca

Dinheiro-em-penca ou tostão. Seus nomes populares já dão pistas da fama de atrair prosperidade para o bolso. Descendo a cabeleira ou cobrindo os vasos como forração, essa planta é capaz de conviver no pote com outras moradoras. Afinal, suas raízes finas não competem por espaço.

Para ver seu verde colorindo tudo por aí, fique atento e mantenha a adubação frequente. No dia a dia, regue 2x a 3x por semana, nos cantinhos à meia-sombra ou sob o sol pleno.  

Árvore-da-felicidade

Essas espécies carregam a tradição oriental de levar sorte a quem for presenteado com a beleza da sua folhagem. É na união entre o masculino e o feminino que vive parte do misticismo de plantar a dupla em um mesmo vaso. Superstições à parte, se a sua está separada ou só uma delas mora nessa selvvva, está tudo certo.

Embora sejam conhecidas como árvore-da-felicidade, macho e fêmea, elas não pertencem à mesma espécie e independem uma da outra para se manterem cheias de vida e se reproduzirem. Dentro ou fora de casa, na sala ou no banheiro, esses arbustos são resistentes e pouco exigentes nos cuidados.

Dica da Selvvva: Os cuidados variam de acordo com o ambiente, a espécie, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura e recipiente onde a planta está acondicionada. As indicações acima devem servir para orientar um primeiro contato, não são uma fórmula definitiva. Fique sempre atento às respostas da sua planta.