Para 5%off na sua 1ª compra, use o cupom: BEMVINDOSELVVVA

Selvvva do dia: xanadu / Philodendron xanadu

Uma das poucas espécies que conseguem levar o volume das plantas tropicais aos lugares ensolarados, essa selvvva do dia pode colorir os cantinhos dentro ou fora de casa. Com folhas que parecem recortadas à mão, costuma ser facilmente confundida.

As semelhanças com o guaimbê vão além da aparência: basta encontrar o apoio de uma parede porosa para subir sem limites, ou ter a promessa de água em um ralo para suas raízes descerem o encanamento. Ambas são capazes de encher de vida o ambiente mais úmido da casa, transformando os banheiros ventilados e iluminados em uma verdadeira selvvva. Confira como decorar este espaço com plantas

Coloque essas primas lado a lado e logo você vai notar os cortes profundos e o tom intenso na folhagem mais velha do filodendro-xanadu, que também tem porte menor e crescimento lento.

Assim como outros membros da família das Araceaes, como costela-de-adão, possui a fama de ser tóxica. Tudo por conta do oxalato de cálcio, substância que causa irritação quando em contato com as mucosas. Mas, bastam a observação e o cuidado para um convívio harmônico com crianças e pets, afinal, assim como a maioria das espécies ornamentais, ela não é comestível e, portanto, não deve ser ingerida. Confira aqui nossa matéria sobre esse assunto

Fique tranquilo se precisar se ausentar por um tempo. Com uma boa rega, o filodendro-xanadu estará te esperando até cerca de 8 dias depois. Temos uma matéria que pode te ajudar

Rega: 1 a 2x por semana à meia-sombra, ou 2 a 3x por semana sob sol pleno. Mantenha o solo sempre úmido, sem encharcar. Aproveite para fazer do substrato um aliado nessa questão: utilize uma mistura de terra e chips de coco ou madeira para plantá-la, assim a água não fica retida e consegue escoar com mais rapidez. Os substratos para orquídeas ou samambaias são ótimas opções.

Espécie tropical, ela adora receber borrifada de água nas folhas, especialmente nos dias mais secos. Confira nosso guia especial sobre rega

Iluminação: meia-sombra ou sol pleno. O filodendro-xanadu é capaz de se adaptar ao sol pleno, mas vá devagar. Exponha-o gradativamente, mais e mais a cada semana. Durante esse processo, chamado de rustificação, algumas folhas provavelmente vão se queimar, mas persista e logo as novas nascerão adaptadas. Confira nosso guia especial sobre iluminação

Outros nomes populares: filodendro-xanadu

Problemas comuns: Os parasitas não costumam visitar essa planta se os nutrientes estiverem em dia. Para manter estes invasores bem longe, aplique óleo de neem e dê a ela o carinho da adubação. Assim você também evita o amarelamento ou mesmo a perda das folhas.

O tom amarelado pode ainda ser sinal de que o seu filodendro está precisando de água. Observe se as folhas estão levemente enrugadas ou apontando para baixo e capriche na rega.

Caules amarronzados na área mais perto da terra demonstram que você pesou a mão na rega e, na falta de uma drenagem adequada, as raízes estão apodrecendo.

Já a presença de pontos marrons na folhagem pode indicar a intoxicação por cloro. Prefira sempre a água filtrada ou a da chuva, que é livre dessa substância. Se o clima seco não contribuir para um pé d’água, use a da torneira, deixando-a descansar por 24h, tempo suficiente para que o cloro evapore.

Se ter um filondendro-xanadu subindo por cada cantinho não faz parte dos seus planos, procure não deixar o vaso próximo à parede.

Evite também cortar as raízes que crescem no decorrer do desenvolvimento da sua planta. Essas estruturas são importantes para a captação de umidade e nutrientes.

Ao levar essa moradora para a sua selvvva, fique de olho na terra. É importante garantir uma boa drenagem e evitar que as raízes acabem sufocadas. Por isso, verifique se ela está plantada na mistura de terra e chips de coco ou madeira.

Como usar: em cachepôs ou vasos, subindo pelas paredes ou colorindo com seu volume em canteiros.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água!